quarta-feira, março 05, 2008

Ginjinha

Porquê não tirar rentabilidade de um excelente produto da região? Enquanto na região de Óbidos se estimula e incentva a produção de ginja, nós nem cuidamos da preservação das nossas ginjeiras.


4 comentários:

Mara disse...

Uma ginjinha com ou sem elas é muito agradável, digestiva e 100% portuguesa. Concordo plenamente que se estimule a confecção da mesma.

Mara disse...

Mudando de assunto:
Na semana da Páscoa, andei por
Trancoso e resolvi visitar o Bogalhal Velho, tem pouco para ver, mas a paisagem é linda.Tem uma estradinha razoável que se pode fazer de carro, tem uma placa com a indicação de nome, tem uma igreja completamente em ruínas e alguns muros das antigas casas e caminhos. Da igreja existem dois portais lindos e algumas partes das paredes, as pedras encontram-se espalhadas em redor. Penso que se se investiram verbas para fazer o caminho não seria bem pensado reconstruir minimamente a igreja (levantar as paredes e colocar um telhado)...se calhar é pedir muito.

pedacosdealcongosta.blogspot.com disse...

Aqui, em muitos casos, nem se colhem. Acabam por ficar na árvore. O que é pena, porque dá um belo néctar.

pedacosdealcongosta.blogspot.com

Vasco Gomes disse...

O tradicional licor de Ginja M.S.R. de Alcobaça, já está disponível na internet em www.ginja.pt.
Faça a sua visita a este produto típico com mais de 80 anos de História e deixe o seu comentário ou sugestão.

Agradecemos a sua divulgação

Cumprimentos

Vasco Couceiro Gomes
Sócio-gerente
David Pinto & Companhia, Lda.
Apartado 9
2461-601 Alcobaça
www.ginja.pt