terça-feira, julho 25, 2006

Cirineu

Cirineu

Foste tu, contando
histórias de embalar
que me deste a conhecer
Cirineu

Apontando para o alto da Gardunha.
Mostraste-me os trilhos
percorridos por este justiceiro,
No Monte identificaste o seu abrigo.

Agora, essas histórias
findaram-se, como tu.
Pervalece o espírito,
e reforça-se o desejo de igualdade.

Partiste, sem lamúrias,
nem queixumes.
Muito ficou por contar,
muito mais por descobrir

2 comentários:

Anónimo disse...

Tenho por nome de batismo o título e tema dos versos, e não achei graça alguma nessas linhas.

asp disse...

Sabe quem foi o Cerineu a que me refiro? Trata-se de "Robin dos Bosques" da Beira Interior, assassinado em 1926, pela GNR, em sua casa, quando visitava a sua mulher. É uma figura lendária da Gardunha que distribuía património dos ricos pelos pobres. Acabou, caindo numa emboscada e armadilha que a GNR lhe montou. O fundador do Jornal do Fundão escreveu vários artigos no Jornal, sobre esta figura, tendo como projecto de vida escrever um livro sobre o tema, que infelizmente não teve oportunidade de concluir.