quarta-feira, julho 20, 2005

Águas Minerais na Beira Baixa

Na publicação seguinte




encontrei algumas referências sobre as águas minerais da Beira-Baixa, apreciadas à luz do conhecimento da data da publicação, 1940, em que a existência do radon era valorizada terapeutica e economicamente. Em Aqueobloco (o seu autor encerrou o BLOG, mas esta ligação está activa em 23/2005) o seu autor coloca com espanto uma fotografia de uma garrafa de água radioactiva, então exportada para o Reino Unido, exposta no Museu do Sabugal. Outros tempos, outras mentalidades, outros conhecimentos... Como o mundo e Portugal evoluiram em tão pouco tempo. Comparem estas fotografias das Termas de Monfortinho, para poderem apreciar a evolução das mesmas. Não coloco uma fotografia actual do Hotel Fonte Santa, porque qualquer um de nós tem, nos tempos que correm, o dever de procurar conhecer o Património da nossa região.


"V-CASTELO BRANCO:
Unhais da Serra - águas sulfúreas sódicas, radioactivas pelo radon, mesotermais, usadas no tratamento das hemorrói
das, reumatismos e dermatoses.
O Aquilégio fala das Caldas da Covilhã (Unhais da Serra). No ano 1794, o Bispo da Guarda D. Jerónimo Rogado, ao fazer a doação dos banhos de Unhais à Confraria do S. S., refere-se a que o Bispo D. João de Mendonça seu antecessor, também doara os banhos. O estabelecimento, constava de 2 tanques para banhos e 6 quartos para os doentes se vestirem, em 1860, data em que foi entregue à Câmara Municipal da Covilhã, que em 1893 reformou e ampliou o balneário, transformando os tanques em quartos de banho. De então até hoje poucas beneficiações se fizeram.
Águas Sulfurosas da Touca - águas sulfúreas sódicas, aplicadas em reumatismos e dermatoses.
Em 1925 foi concedido o alvará, continuando as instalações no primitivo e bastante rudimentar estado em que foram construídas.
Alardo - água hipossalina, muito radioactiva pelo radon, indicada na cura de diurese, mais usada como água de mesa.
Concedido em 1922 o alvará de concessão, foi construído um edifício destinado a oficina de engarrafamento; a falta de recursos financeiros fêz suspender a exploração desta água.
Fonfe Sanfa de Monfortinho-água hipossalina, muito radioactiva pelo radon, mesotermal, aplicada nas doenças de fígado, rins e de pele.

Dêste grupo de nascentes, a denominada «Fonte Santa» é a mais remotamente conhecida, pois já em 1726, fôra citada por Fonseca Henriques; a sua valorização, porém, data de 1747 depois da cura do infante D. Francisco, irmão de D. João V, que mandou construir o chamado «Banho Público» sôbre a nascente Fonte Santa, balneário que em 1938 foi demolido para a execução dos trabalhos de captagem; no período de 1901 a 1932 são feitos -vários pardieiros aplicados a balneários, um barracão pomposamente chamado «hotel» e uma casa que ficou só nas paredes, destinada a festas, e chamada «casino».
Por imposição da Inspecção de Águas, esta situação foi modificada, e, em 1940, é inaugurado o hotel e o estabelecimento termal, quer um quer outro modelares.
Lugar da Foz da Sertã-água hipossalina aluminosa, radioactiva pelo radon, hipotermal.

É muito recente o seu conhecimento como água medicinal, sendo de 1893 a sua primeira análise, quási não havendo história clínica. É a água vendida em garrafas de 7 decilitros.


Fonte Santa de Monfortinho-O primeiro balneário chamado Banho
Público, sôbre a Fonte Santa», hoje demolido








"

1 comentário:

pjdc disse...

tem mais alguma informação sobre as águas da foz da sertã. se tiver poderia me contactar para o mail cardoso.pedro @gmail.com